Certificação Energética, uma nova forma de poupar

O certificado energético é obrigatório na comercialização de uma habitação mas, mais do que uma obrigação, a certificação dos edifícios deve ser vista como um investimento no próprio imóvel e uma mais-valia para a redução de custos e poupança ambiental.

Ao certificar um imóvel, seja este habitacional ou escritório, o proprietário está a investir na deteção de possíveis pontos de melhoria ao nível do desempenho energético do imóvel, e, por consequência, a abrir portas à introdução de melhorias para a redução de consumos e eliminação de possíveis problemas.

O tema da eficiência energética está na ordem do dia e os portugueses estão cada vez mais sensíveis a esta vertente sustentável da poupança. Nos novos edifícios, esta preocupação está assumida desde o início da sua construção e, antes, do seu planeamento. Nos edifícios já existentes, a preocupação passa pela sua adaptação ao novo quadro legal. Com a vaga de reabilitações que está a ser vivida nos dois principais núcleos urbanos nacionais, Lisboa e Porto, a necessidade de certificação energética torna-se ainda mais premente.

 

Ver artigo em: SIC